Adao Miranda

Você vive a autorresponsabilidade?

Tenho encontrado diversas pessoas que dizem ser excepcionais em algo, mas falam que lhes faltam oportunidades, condições. Dias atrás encontrei um amigo na rua. Ele me relatou que estava desmotivado com o seu empreendimento. Segundo ele, prestava um dos melhores serviços da praça, mas culpava a crise e os concorrentes pelo baixo faturamento. Nesse dia também conversei com uma pessoa que dizia não está desempenhando a sua atividade melhor porque em seu trabalho faltava infraestrutura para tal.

Na verdade, para muitos dos empreendedores e empregados que reclamam das poucas condições de trabalho e da situação macroeconômica, o que lhes carecem são vontade para fazer o melhor, determinação e mente aberta para está sempre aprendendo. Ademais, só há aprendizagem, só há crescimento, se você ficar constrangido a respeito de suas ações. Precisamos perceber em nós e em nossas empresas o que pode ser melhorado. Não espere a mudança de cenário. A mudança deve começar em você.

Aí alguém pode perguntar: a situação financeira e o momento político não contribuem positivamente ou negativamente para determinado negócio? Mas é claro que contribuem. No entanto, de maneira alguma devemos ficar presos a isso. A partir do momento em que você condiciona o seu sucesso, o futuro do seu negócio às situações externas, você estar deixando de cultivar uma das habilidades que mais faz diferença – a autorresponsabilidade.

Quando você começa a se responsabilizar pelos seus resultados, sejam eles conquistas ou fracassos, você deixa de ser vítima e passa ser autor de sua própria história. Começa a valorizar e a otimizar seus pontos positivos como também a admitir suas deficiências e se empenhar para reduzi-las. E em relação aos fatores externos, como a crise financeira, o que fazer? Em tempos de desaceleração da economia, é momento de pensar diferente. Agir diferente. Um determinado trabalho que se fazia de uma maneira com um investimento x, pode ser otimizado e se empregar um valor bem menor, mas sem nunca perder a eficiência. Assim, sua empresa terá um novo gás, será mais competitiva. Faça isso independentemente qual seja a sua função. Caso seja empregado, isso gerará valor e contribuirá para a sua empregabilidade e, talvez uma possível promoção.

Precisamos sim, estarmos atentos aos cenários externos, mas devemos fazer a nossa parte, enquanto as coisas lá foram não melhoram, ou como diria Cortella, “Faça o teu melhor na condição que você tem enquanto você não tem condições melhores para fazer melhor ainda”.

Portanto, busque sempre a excelência. Não tente justificar o seu fracasso atribuindo-o tão-somente a fatores externos. A autorresponsabilidade pode ser o que está faltando para você alcançar o seu objetivo. Viva-a. Seja o gestor do seu destino.

Adão Miranda. Palestrante Motivacional. Experiência de mais de 10 anos em Coordenação de Equipes de Vendas. Licenciado em Letras e Especialista em Gestão de Recursos Humanos. Fone/Whats: 99 98848.0926. E-mail: ampalestrasmotivacionais@gmail.com